Pular para o conteúdo principal

Justiça pode tirar reprise de "Pantanal" do ar

Benedito Ruy Barbosa continua tentando tirar do ar "Pantanal". O autor conseguiu uma liminar que exige do SBT a documentação que comprove o direito de exibição da novela.

A Folha diz que "caso o SBT não prove o direito de exibir a novela com a documentação, os advogados do autor prometem pedir a retirada da novela do ar e uma indenização referente ao período em que ficou sendo exibida indevidamente", com valor decidido em juízo.

A reportagem do jornal O Dia apurou que o SBT não acredita que irá enfrentar problemas com isso: "já que o contrato de direitos autorais assinados por Benedito com a Manchete ainda é válido e, como esses direitos foram comprados pela emissora de Silvio Santos, a novela pode continuar no ar". Mas o advogado do autor disse à Folha Online que "o que o Benedito Ruy Barbosa autorizou era a exibição e reexibição de 'Pantanal' na Manchete até o ano de 2000".

A briga começou desde a estréia de "Pantanal" no SBT. Benedito Ruy Barbosa teria vendido o texto para um possível remake para a TV Globo, que agora parece não mais se interessar no projeto.

Sendo bem direto, as duas últimas novelas escritas por Benedito Ruy Barbosa foram "Os Imigrantes" (1981) e "Pantanal" (1990). Depois disso, só misturou as duas, às vezes puxando mais pra uma e às vezes mais pra outra. Por exemplo: "Renascer" (1993) é cópia descarada de "Pantanal". "O Rei do Gado" (1996) é "Pantanal" com elementos de "Os Imigrantes", "Terra Nostra" (1999) é cópia de "Os Imigrantes"... E por aí vai!

É óbvio que o autor não quer reprise de "Pantanal" agora! Faz tempo que ele não apresenta uma trama rural na Globo. A próxima, ainda que não fosse remake, seria cópia da mesma "matriz". E cópia malfeita, porque todos os elementos novos inseridos nas últimas produções são de qualidade inferior - e também porque "Pantanal" foi o fenômeno que foi porque, além do texto de novelão inspirado, tinha uma produção diferenciada, que dava uma estética incomum e inovadora.

Logo que o SBT colocou a reprise no ar, a historinha da Globo de processar a rede de Silvio Santos parecia publicidade disfarçada (um "todos contra a Record": o SBT anuncia "Pantanal" citando "A Favorita", a Globo contribui para a repercussão de "Pantanal" no SBT com as ameaças de ações judiciais... e menos gente vê a Record). As ações do autor demonstram outra motivação: preguiça de escrever algo realmente novo!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…