Pular para o conteúdo principal

Band planeja horário nobre sem "Show da Fé"

Parece que dessa vez o "Show da Fé", do missionário R. R. Soares (foto), deixará de fazer parte do horário nobre da Band. O jornalista Flávio Ricco antecipou em sua coluna Canal 1 no último dia 14 que a Bandeirantes está preparando um programa diário para o horário nobre, a ser lançado em setembro (após o término das Olimpíadas).

A atração, idealizada por Hélio Vargas (criador do "Tudo a Ver" na Record), misturará entretenimento e informação, servindo "como opção num horário que hoje é dominado pelas novelas". Daniel Castro apontou em sua coluna na Folha de 16/07 que o formato prevê "entrevistas e participação de colunistas de várias áreas". "Seria uma 'revista de comportamento'".

O problema, por enquanto, é o mesmo que fez a Igreja da Graça ter seu espaço no horário nobre desde 2003: dinheiro! R. R. Soares paga entre R$ 2 milhões e R$ 4 milhões por mês para exibir seu "Show da Fé" das 21h às 22h na Band. Além do mais, nas madrugadas a emissora retransmite a programação da RIT, canal da mesma igreja. Vai ver é também por isso que existe "uma grande preocupação para que a resolução tomada não abale a relação amistosa que marcou a parceria entre as partes ao longo desse tempo", conforme afirma a reportagem de Bárbara Sacchitiello para o Meio & Mensagem.

A Bandeirantes sabe o quanto queima o próprio filme com pregação no horário nobre! A mesma reportagem do Meio & Mensagem diz que "a emissora revê a necessidade de padronizar sua grade, preenchendo o primetime com um conteúdo pertinente a uma rede que almeja disputar audiência em pé de igualdade com as demais".

As emissoras que alugam espaços geralmente escolhem horários "fracos" e nem por isso deixam de correr o risco do prejuízo de imagem - a Manchete se queimou muito quando começou a ter televendas e igrejas na grade. Elas sabem disso, mas preferem esse prejuízo ao prejuízo financeiro, já que os horários têm baixa visibilidade e, conseqüentemente, baixo faturamento. Quem aluga o horário nobre faz a mesma opção do "dinheiro certo", mas assume implicitamente que não se julga capaz de competir com um produto rentável no horário mais importante. Até a Record, que tem a venda de horários para a IURD como único meio "declarável" para injeção de dinheiro da igreja na empresa, sempre poupou seu horário nobre.

Então fica nisso: a Band sabe que igreja no horário nobre não é coisa de grande rede. Se quiser competir de igual pra igual, vai ter que abrir mão do dinheiro do missionário, independente se são R$ 2 milhões ou R$ 4 milhões. Mesmo que isso signifique trabalhar mais (ou alguma coisa) com grandes chances de faturar menos.

SAIBA MAIS
http://www.meioemensagem.com.br/novomm/br/Conteudo.jsp?origem=home&IDconteudo=110728

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…