Pular para o conteúdo principal

Exclusivo: entrevista com Pedro Paulo Carneiro, diretor geral da nova TVGD - TV Geração Digital

Como comentei ontem, recebi uma mensagem do jornalista e diretor de TV e cinema Pedro Paulo Carneiro, idealizador da TVGD - TV Geração Digital, sobre texto escrito aqui, em 29 de julho, falando do canal. O texto, complementado por um post que comparava as primeiras impressões da TVGD à TiViu ("precursora" do FizTV que não chegou a estrear), apontava algumas dúvidas, principalmente quanto à transmissão e divulgação.

Pedro Paulo Carneiro (foto) está envolvido há mais de oito anos no projeto da TV Geração Digital e se propôs a esclarecer as dúvidas comentadas aqui - e as não comentadas também. O jornalista já atuou na criação e direção de programas de TV na Globo, Bandeirantes, TVE, BBC e TVJB.

A seguir, a íntegra da conversa.


Você disse que o projeto do canal tem sido trabalhado há mais de oito anos. Quando e como surgiu a idéia da TVGD?

Pedro Paulo Carneiro - Bem, antes de mais nada, em 1990 voltei minha atenção para o segmento jovem e teen. Fiz uma pesquisa que durou 2 anos para descobrir que tipo de linguagem audiovisual agradaria a este público. A partir daí, foquei meu trabalho exclusivamente neste segmento. Em 1998 comecei uma pesquisa na linguagem de TV para internet. Durante um ano fiz uma extensa pesquisa e cheguei a 12 mandamentos de como produzir uma TV para o público internauta. A partir destas duas pesquisas, resolvi criar um veículo de comunicação que atendesse aos anseios dos jovens brasileiros e que apesar de ter um conteúdo social, fosse num formato moderno e arrojado. A ideia era lançar este canal apenas em 2010. Com a minha ida para SP, tive oportunidade de acelerar este processo. Resultado, entraremos em março de 2009 no ar, sendo transmitidos por parabólicas para 20 milhões de lares brasileiros.

O que mudou no projeto ao longo desses mais de oito anos de desenvolvimento?

P.P.C. - Uma das marcas da TVGD é justamente o fato dela ser mutante, como um adolescente. De oito anos para cá mudou muita coisa com relação aos formatos, conteúdos e NADA com relação ao nosso objetivo inicial, que é estar dentro de todos os suportes possíveis de forma democrática, focado no target 10-25 com o conteúdo social.

Existe alguma experiência atual em televisão próxima ao formato da TVGD?

P.P.C. - Não. O que existe são algumas características de nossa programação, que são encontradas em outros veículos como BBC, DISCOVERY, TVE, MTV e PBS. Na verdade nós seremos o primeiro canal de TV mundial "incluso", ou seja, todos os conteúdos são voltados de alguma forma para o social, sem ser no entanto uma TV EDUCATIVA. Gosto de pensar que seremos uma BBC JOVEM.

O que exatamente é essa proposta inclusiva?

P.P.C. - Todo nosso conteúdo terá a preocupação em ser um coadjuvante na formação de jovens cidadãos brasileiros. Temos preocupação com o que exibiremos nas telinhas. Ser um canal inclusivo, significa contemplar em sua programação a diversidade sexual, étnica, de classe, de opinião dos jovens brasileiros. Discutir temas que interessem ao segmento, fazendo-o de forma lúdica, sem perder o charme e a atratividade do produto. Pautado no ECA [Estatuto da Criança e do Adolescente], significa não expor crianças, jovens e adolescentes a situações vexatórias e cuidar de que nosso conteúdo não deseduque o jovem.

A reportagem do Propmark diz que a TV Geração Digital "conta com apoio de entidades como Unicef, Andi (Agência de Notícias dos Direitos da Infância), Afro Reggae, Viva Rio e outras". Qual a participação dessas entidades na programação?

P.P.C. - A ANDI está nos ajudando com conteúdo para nosso jornalístico JORNAL DIGITAL. O UNICEF está colaborando por "assinar embaixo" de nossa proposta. Já as ONGs como Afroreggae, Viva Rio e inúmeras outras, estarão colaborando com pautas, sugestões e conteúdos para nossa programação.

Como funcionará o Conselho Editorial da TVGD?

P.P.C. - Estamos selecionando 11 jovens na faixa etária entre 10-25 e das diversas classes sociais brasileiras para analisarem nossa programação e através da resposta de questões ajudarem o canal a manter o foco e a linha editorial voltada para jovens. Toda semana, este conselho se reúne para apontar desvios da meta inicial, propor pautas e sugestões que terão prioridade nas pautas de TODOS os programas. A cada 3 meses, este conselho é mudado.

Como está sendo planejada a divulgação da emissora? Quando vai ser o lançamento e que ações estão previstas entre o lançamento oficial e a estréia?

P.P.C. - Constituimos a APPROACH DE COMUNICAÇÃO como nossa assessoria que preparou um release de divulgação. No dia 16 de setembro, faremos na MELT do Rio de Janeiro (casa de eventos) o lançamento da pedra fundamental da emissora para imprensa e convidados. Estamos produzindo 10 peças publicitárias que estarão sendo transmitidas em diversos veículos e suportes (celulares, TV, radios, revistas, jornais e, claro, internet). A estréia ainda é surpresa, mas posso adiantar que sera um mega evento multicultural envolvendo circo, teatro, performance, música e debate, tudo no mesmo momento.

A TVGD vai ser sintonizada somente nas parabólicas? Se não, a idéia é da transmissão como canal aberto ou fechado?

P.P.C. - Nossa intenção é democratizar nosso sinal. Não temos uma concessão de TV, mas temos autorização para transmissão do nosso sinal nas parabólicas. Então estaremos em 20 milhões de lares (que têm parabólicas no Brasil) a partir de marco/2009.

Existe algum canal confirmado para a TVGD em alguma cidade, caso o sinal seja aberto, ou negociações em andamento? Você pode dizer com quais grupos vocês têm conversado?

P.P.C. - Estamos negociando sim com outros veículos de televisão, mas prefiro divulgar quando fecharmos os acordos.

Três atrações da TV Geração Digital foram levadas à TVJB, como você disse no comentário que fez aqui no blog: "Na Rua", "Garotas" e "Diana Diet". Como você avalia os desempenho dos três produtos na TVJB? Alguma coisa vai mudar no formato de cada um para a estréia no novo canal?

P.P.C. - Na verdade, eu levei estes três formatos para a TVJB, que foram criados para nosso canal TV GERAÇÃO DIGITAL. Apenas para você ter noção, o GAROTAS projeto, existe ha 10 anos. A Diana Diet existe ha 8 anos e o NA RUA já foi uma modificação do Atitude.com da TVE, criação minha e que continua no ar.
Modificações teremos sim. A DIANA DIET sera um talk show diário, que entrevistará desde notáveis até célebres desconhecidos, como carteiros, garis, garçons. Ela será o nosso Jô Soares (guardadas as devidas proporções). Será a primeira vez que um personagem DRAG KING (não é drag queen), terá tamanho espaço numa emissora. Mais um reflexo de nossa disposição para contemplar todos os extratos e diversidades da sociedade.

Você dirigiu outros programas na TVJB ("Na Estrada" e "Verso & Reverso"), e a TVGD também terá, entre seus principais executivos, o ex-superintendente de marketing e negócios da CBM, Sérgio Passos de Queiroz. A recente experiência da TVJB com a CNT chegou a fazer vocês repensarem sobre a viabilidade do projeto da nova TV? Existe alguma ligação entre a TVGD e a TVJB?

P.P.C. - Não existe nenhuma ligação da TV GERAÇÃO DIGITAL com a TVJB. Esta última foi um projeto do empresário Nelson Tanure, o qual não tem absolutamente nada a ver com o nosso canal.
Toda experiência é válida. Claro que analisamos o projeto TVJB e verificamos com alegria que temos todas as chances de sucesso neste empreendimento. Para informação dos seus leitores, uma emissora de TV costuma levar pelo menos 5 anos para atingir o break-even, ou seja, igualar os gastos com a entrada de dinheiro. A TVJB alcançaria o break-even com menos de 1 ano, caso tivesse se mantido no ar.
Convidei o Sérgio Queiroz para nosso projeto por entender que ele é um excepcional profissional na area de marketing e grandes negócios, e tem colaborado muito para o sucesso deste empreendimento, além do que, ao longo desta experiência, tornamo-nos amigos. Além dele, tem o Diretor Roberto Lamounier, com larga experiência em TV, Cinema e no mercado publicitário.

Falando na TVJB, como você avalia a curta trajetória da emissora?

P.P.C. - Minha avaliação é positiva. Após 04 meses no ar, os patrocinadores estavam se interessando pelo formato da emissora e pelos seus programas, incluindo aí o Augusto Nunes e o próprio programa Na Rua. O que faltou ao meu ver, foi um projeto de viabilização comercial menos formal. Minha percepção é que o Mercado busca algo diferente, novos formatos para a divulgação dos seus produtos.

A TVGD já tem uma grade definida? Você pode adiantar pra gente alguns horários já acertados?

P.P.C. - Temos sim. Posso te dizer alguns programas que estarão na grade e seu tempo de duração. São eles:
NA RUA – seg a sex com 2 horas de duração
JORNAL DIGITAL – seg a sexta com 1 hora de duração
ZOORNAL – seg a sexta com 30 minutos
OLHAR NA WEB – seg a sexta com 30 minutos
BAD TV – seg a sexta com 1 hora de duração
DIANNA DIET – diário com 30 minutos

CUECÃO – semanal com 30 min
SOMDIFICADOR – semanal com 1 hora
DIÁRIO DO HOMEM INVISÍVEL – semanal com 30 minutos
GAROTAS – semanal com 30 minutos
EXORCIZANDO O MICO – semanal com 30 minutos
CARONEIROS – semanal com 30 minutos
ABSORVENTE.COM – semanal com 30 minutos
MENINAS DO INTERIORRR – semanal com 30 minutos
QUEBRANDO A ROTINA – duas vezes por semana com 1 hora

Estes são alguns dos programas. Teremos 7 horas diárias inéditas.

Quais são as suas principais "apostas" na TVGD?

P.P.C. - Eu aposto no canal como um todo. Cada conteúdo programático contempla uma necessidade de informação do jovem brasileiro. Aposto que nosso veículo vai mudar o olhar do jovem sobre "como se vê TV".



Alguns pontos devem ser ressaltados, sobre as questões comentadas antes:

A divulgação "incompatível" não é parte das ações "oficiais" de comunicação do canal. Foi contratada para o planejamento de divulgação a Approach, agência de gestão de informação que tem no portfólio de clientes nomes como Fundação Roberto Marinho, TIM e Grupo Pão de Açúcar. E, diferente da TiViu, que tinha forte deficiência na comunicação às vésperas da suposta estréia, a TVGD nem foi oficialmente lançada. A apresentação à imprensa e ao mercado publicitário vai acontecer no mês que vem, em uma festa na MELT, casa noturna do bairro do Leblon, no Rio de Janeiro, com capacidade para 400 pessoas.

Sobre a questão do sinal, fica confirmada para março de 2009 só a transmissão via satélite (não foi falado pra qual satélite o sinal será apontado). Se a transmissão ficar restrita às parabólicas a nova TV pode ser prejudicada, já que a recepção por parabólicas "tradicionais" nos grandes centros urbanos é limitada, não só pelo crescimento dos sistemas de TV por assinatura, mas também por existir, na maioria desses locais, um número igual ou superior de canais na TV aberta que o número de canais mais conhecidos disponíveis nas parabólicas - e a programação da TV Geração Digital é muito urbana!

Na parte comercial, o diretor do novo canal demonstrou segurança ao usar os exemplos dos produtos levados para a TVJB, e ainda disse que a TVJB teria pago o investimento em menos de um ano, caso tivesse se mantido no ar. Isso só reforça a dúvida sobre o que motivou o Nelson Tanure a não pagar a CNT!

E sobre a programação, vi de novo todas as descrições dos programas e vídeos disponíveis no blog do canal. Pelo que vi, vai ter espaço para produções independentes, como o "Quebrando a Rotina", atualmente veiculado pela VTV (afiliada da RedeTV! no litoral paulista) e as produções trash da Pepa Filmes. Com relação às produções próprias (ou da TVC Produções, do Roberto Ribeiro Lamounier), só achei algumas coisas muito voltadas ao público carioca. É sempre bom prestar atenção nisso pra não criar rejeição em públicos mais bairristas (e o principal mercado do país, por exemplo, torce o nariz pra um programa com muitas referências "desconhecidas" - por mais que tenha o péssimo costume de falar em rede nacional sobre o trânsito das Marginais).

Recomendo mais uma vez a quem tiver interesse visitar o http://tvgeracaodigital.blogspot.com/, único veículo de divulgação do projeto, por enquanto. A partir de setembro, se tudo correr como planejado, vai ter mais novidades.

Por enquanto, por mais que o Pedro Paulo Carneiro (ou PP, como ele se trata) tenha dito que eu não deveria agradecer, agradeço! A única pretensão que tenho aqui é não fazer um eterno Ctrl+C, Ctrl+V que não acrescente nada a ninguém. Essa oportunidade de esclarecer as minhas dúvidas sobre o canal - e imagino que sejam as principais dúvidas de quem está lendo - é o tipo de "diferencial" no blog que eu nem esperava!

Comentários

  1. Prezado Anderson,
    parabéns pelo profissionalismo com o qual você produz seu blog. Vou divulgar o link para meu mailing.
    Vou te dar mais uma informação sobre a transmissão da TVGD. Estaremos na rede mundial de internet como um canal complemantar a transmissão via parabólicas e que encontra-se bem adiantadas as negociações com canais a cabo.
    Com relação a TVC, ela produz conteúdo nacional e internacional ha 20 anos, tendo produzido filmes, comerciais e mais de 20 séries de Tv para canais como Globosat, TVE, Bandeirantes e BBC.
    Um forte abraço,
    PP

    ResponderExcluir
  2. Parabéns para o entrevistador e entrevistado. Faço votos para que o canal dê certo!
    abs Luciana Rangel

    ResponderExcluir
  3. Perfeito!
    Amei essa proposta!
    Parabéns pela iniciativa!

    ResponderExcluir
  4. Salve. Parabéns. Sucesso.
    Abraços
    Bruno Agostini

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Agradeço pelo comentário no blog FABIOTV. Sobre a Igreja que dominou a Rede 21: o que é aquilo? Triste perceber certas coisas.... Abraços, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  6. VIDA LONGA E MUITO TRABALHO PRA TVGD!!!! ESSE ANO PROMETE!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…