Pular para o conteúdo principal

Conteúdo da Oi FM será produzido pela MTV

Saiu hoje no Meio & Mensagem que a MTV entrará no rádio ainda esse ano, mas de forma diferente da que havia sido planejada. A reportagem afirma que, enquanto a Oi negociava a entrada da sua rádio no dial paulistano, foi firmado com a Abril "acordo que prevê que a MTV seja a responsável pela programação da emissora que leva a marca da operadora de telefonia celular".

A parceria deve ser iniciada até outubro, quando a companhia passa a operar no mercado paulista. A proposta é de uma programação totalmente focada em música e informação dirigidas ao público jovem.

A matéria só não explica se a rede ficará sob responsabilidade da MTV ou se a parceria envolve apenas os 94.1 MHz de São Paulo. O texto, aliás, é totalmente voltado à São Paulo. Chama até a cidade de "capital"!

Vamos ver o que a MTV vai fazer com a rádio, caso a notícia se confirme.

Se o acordo valer pra toda a rede (o que é bem possível - o Grupo Bel, responsável pela programação e comercialização da Oi FM, já tem parceria com a MTV em Minas Gerais), vinhetas, programas e até a programação musical podem sofrer grandes alterações.

Algumas alterações na "atual Oi FM" (sem intenção inicial do trocadilho idiota) são muito bem-vindas! Antes da estréia em São Paulo, tinha ouvido algumas vezes a matriz mineira, e tinha gostado. A partir do momento em que passou a estar ali, portátil, concorrendo de igual pra igual com as FMs paulistanas, passei a achar meio sem graça, mesmo gostando dos programas (das idéias e dos nomes escolhidos)!

E achei sem graça, primeiramente, pelo motivo óbvio: é extremamente pasteurizada! Não tem locutor, não tem participação, não tem vida... não parece rádio! A única coisa que foge completamente disso é o "Ronca Ronca" (terça, 22h).

Já a programação musical, pra mim, é muito mais "presa" do que se esperaria de uma rádio cujo slogam é "Livre". Passeia, basicamente, por "meios-termos" de Pop, Rock e MPB (só toca o Pop que é meio Rock, o Rock que é meio Pop e a MPB que é meio Pop/Rock). Por não existir um estilo majoritário, fica "presa" entre todos esses "meios-termos", que são mesclados com R&B, Soul e um pouco de música eletrônica (também de "meio-termo"), passando por umas coisas independentes que reforçam o "Livre" do slogam. Aliás, se a Oi tem um estilo, é ser descolada! A plástica é tão bem feita que deixa todas as músicas com o mesmo clima despojado, ficando esquisito entrar uma música que não seja tão cool quanto a estética da emissora. E até nisso ela se prende um pouco!

Pessoalmente acho legal não existir radicalismo na definição do gênero musical! Uma "Rádio Rock", por exemplo, é muito cansativa, até porque também tende a ser presa: tem que tocar todos os estilos, às vezes agradando a um grupo, às vezes outro - a Brasil 2000 tem programação musical agradável porque corta determinados estilos.

Gosto de muita coisa dos "meios-termos" que a Oi FM toca e gosto da plástica por excluir a afetação das demais rádios jovens, mas acho que os "meios-termos" deveriam aparecer dentro de uma seleção em que fosse mais fácil reconhecer um estilo principal.

Espero que a MTV não descaracterize a Oi FM nos aspectos que gosto. Acredito que ela pode ser uma rádio muito boa se a programação musical passar por alguns pequenos "ajustes". E, principalmente (esse, pra mim, é o maior problema), se deixar de ser "Livre" de funcionários!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…