Pular para o conteúdo principal

Record x Folha - Parte 2

MidiaClipping
A briga entre a Rede Record e a Folha de S. Paulo pode render novos capítulos. O "Jornal da Record" desta terça-feira (31/03) anunciou que exibirá a reportagem "O Escândalo da 'Ditabranda'", onde pretende "esclarecer" a posição da Folha sobre o regime militar.

A Folha demonstrou a intenção de dar um ponto final para a polêmica com a TV de Edir Macedo em 21/03, ainda que no discreto "Erramos". Um dia após o editorial sobre "Os ataques da Record", a seção trouxe uma correção dos índices de audiência divulgados por Daniel Castro - estopim inicial para a sequência de reportagens e notas de ambas as partes. A nota disse que o texto do colunista "errou ao afirmar que Record News e Globo News tiveram em fevereiro, respectivamente, 6.284 e 27.491 telespectadores por minuto na TV paga, na média diária (24 horas), na soma de São Paulo, Rio, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis e Campinas", e completou: "Essas audiências são uma projeção para todo o país. Nessas cidades, Record News e Globo News registraram, respectivamente, 2.430 e 10.820 telespectadores por minuto".

Depois disso, a Record foi destaque na coluna de Daniel Castro duas vezes:

DIA 23/03 (SEGUNDA-FEIRA)
A manchete da coluna foi "Record descumpre acordo com ministério". Segundo o colunista, a emissora havia firmado um acordo para adequar o conteúdo da novela "Chamas da Vida" à sua classificação indicativa (12 anos), mas não tinha alterado o teor das cenas porque o horário em que a trama era exibida não prejudicaria o canal numa reclassificação para 14 anos. Nada demais, e nada que não pudesse ser publicado sobre qualquer outra rede - na quarta-feira, por exemplo, a mesma coluna falou sobre uma advertência do Ministério da Justiça enviada à Globo por conta da classificação indicativa no BBB.

DIA 31/03 (TERÇA-FEIRA)
Daniel Castro noticiou que o nome da cantora Cláudia Leitte foi usado indevidamente para promover a Record Entretenimento ("Record usa Claudia Leitte indevidamente"), de acordo com informações da gerente de marketing da cantora. A informação repercutiu em outros veículos, mas a empresa já havia retirado o nome de Claudia de seu site.

Estimulada ou não por essas citações, Celso Freitas e Adriana Araújo anunciaram, na mesma data, a reportagem contra a Folha. Veja a chamada:


Segundo o site AdNews, a assessoria de imprensa da Record informou que não há data para a veiculação da reportagem.

Essa situação faz lembrar um episódio comentado aqui no ano passado. Depois de não ter nenhum programa entre os semifinalistas regionais do Emmy Internacional, a Record ficou indignada e emitiu um comunicado questionando a credibilidade da premiação, cujos finalistas eram definidos por uma entidade da qual a Globo é parceira (a IATAS - Academia Internacional de Televisão, Artes e Ciências). O questionamento até seria válido, se não tivesse aparecido somente depois da emissora não ter recebido nenhuma indicação ao prêmio. Pegou muito mal e pareceu que foi muito barulho por nada!

Quem lê a coluna do Daniel Castro na Folha já deve ter visto muita coisa negativa sobre outras emissoras, e ninguém dá a importância que a Record está dando - a Globo, tão copiada pela Record, nunca usou seu telejornal principal para atacar ninguém que criticasse seus programas ou seus canais.

Acho que esse texto sobre a Record News é um grande pretexto para os dois lados. A Folha provoca a ira da alta cúpula da IURD - que é historicamente "esquentadinha" - e desvia a atenção da "ditabranda". A Record cultiva a briga para desqualificar a Folha e, consequentemente, a reportagem de Elvira Lobato sobre o enriquecimento da igreja.

Mas outras questões menos passionais podem estar envolvidas nessa história. Enquanto mostra como o maior jornal do país é "podre", a Record se prepara para ingressar em novas mídias: além dos jornais que tem comprado, pensa numa revista semanal de informação e pretende criar um portal de notícias na Internet, chamado internamente de R1. É... R1!

Não vejo a hora de ver a reportagem. E de ler a resposta da Folha!

LEIA TAMBÉM
Record X Folha (a íntegra da briga, da coluna de Daniel Castro em 13/03 ao editorial da Record em 20/03)
O carnaval desnecessário da Record

Comentários

  1. Sinceramente...
    A Folha perde tempo com o Bispo Macedo, melhor seria se a Folha ingnorasse ele...

    A reportagem da Elvira Lobato não falou nada demais, isso não é preconceito, eu passei por preconceito religioso e sofri muito

    Aliás, o Daniel Castro já criticou a Globo e o SBT, e estas emissoras?
    Nada.

    Temo que o Bispo Macedo entre na midia impressa, por que eles tem dinheiro e vão gastar tudo, não tenho a menor dúvida

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…