Pular para o conteúdo principal

Hans Donner não deve ter gostado. E você?

MidiaClippingFoi assunto de praticamente todos os sites de rádio na semana passada as mudanças que a Rádio Globo sofreria a partir desta segunda-feira. Vinhetas, plástica, programação, slogam e logotipo seriam trocados numa tacada só. E foram.

Nem vou falar sobre a programação porque, podem me apedrejar, mas não consigo ter paciência para a Rádio Globo! Hoje tentei ouvir alguma coisa, até para ver o que mudou, e peguei o final de uma das participações do Padre Marcelo Rossi, com uma criança de dois ou três anos cantando uma música católica. O padre fazia, naquele tom de voz característico, intervenções como "ele não sabe nem falar, mas já sabe cantar" e "ele canta do jeito dele", ou repetia cada palavra errada que o menino pronunciava. Depois disso, o dono da Ultrafarma apareceu para falar o quanto era sugestivo a farmácia ficar na estação Saúde do Metrô, e a volta do "Manhã da Globo" contou com a mesma vinheta chata (mã-nhã-dá-glô-bo, mã-nhã-dá-glô-bo, mã-nhã-dá-glô-bo...). Adoro rádio e escuto outras emissoras populares tanto em AM quanto em FM. Mas a Globo é difícil!

Antes de alguém me atirar um tijolo, tenho que dizer que gosto de dois programas: o "Se Liga Brasil", do Roberto Canázio, e o "Quintal da Globo". Nunca ouvi o "Planeta Rei nas Ondas da Globo" mas acho que tem tudo a ver com o horário e o perfil da rádio. Vou tentar ouvir!

De qualquer jeito, o que eu ia falar era bem mais simples. É sobre o novo logotipo, que substitui o criado por Hans Donner nos anos 70.

A Globo contratou a Tecnopop, agência carioca que tem no portfólio clientes como Petrobrás e Brasil Telecom, e que já reposicionou a antiga 98 FM, levando-a "em um ano da quinta posição à vice-liderança das FMs" no Rio de Janeiro.

Ontem li aqui o comentário de um leitor anônimo dizendo que preferia o antigo logotipo e que achava que o atual tinha ficado muito feio. Gostei das cores e do novo slogam, mas também não gostei do novo logotipo. Não chego a dizer que é "muito feio", mas achei simples demais. Foi só a gente que não gostou?

Comentários

  1. Olá Anderson,

    Meu nome é Wagner e sou o tal leitor anônimo que não gostou do logotipo novo da Rádio Globo. Esqueci de assinar. E a questão realmente é pelo fato de que ficou simples demais, tipo aquele desenho que até meu sobrinho com o braço engessado há um mês faria!!!

    Ainda não tive chance, nem tempo e nem paciência para ouvir a nova plástica da programação mas só o fato de terem tirado a minha vinheta preferida: "Radio Globo, música, esporte e notícia" (a original, que tocava antes do Globo no ar nos programas gerados a partir do Rio, me deixou P... da vida. Sou do tempo do "O Seu Redator-Chefe" e acho que posso dar meu parecer sobre isso. Repito que a Globo tem muitas vinhetas marcantes. Renovação plástica tem que ser feita com critério pra não descaracterizar.

    WAGNER - MAUÀ - SP

    ResponderExcluir
  2. Ah, esqueci...

    Será que tiraram a vinheta "Música, esporte e notícia" porque a rádio toca cada vez menos música? Muitas vezes penso, com certo exagero, que a Rádio Globo se tornou após o advento da CBN um clone popular (e bota popular nisso!) da rádio que toca notícia. Não me admiraria se deixasse de tocar música qualquer dia desses...

    WAGNER - MAUÁ -SP

    ResponderExcluir
  3. Olha, Anderson, qualquer moleque de 5 anos, que saiba usar o Photoshop, faria melhor!!!!!!

    ResponderExcluir
  4. como se a logo do teu blog fosse mto melhor que a da radio globo....

    ResponderExcluir
  5. Valeu por ter comparado uma imagem que eu fiz no Word para um blog com um projeto desenvolvido por uma agência especializada para uma empresa que eles classificaram como "patrimônio imaterial do Brasil". Não esperava tanto!

    Sem querer você concordou comigo. Se um logo feito em casa "não é muito melhor" que o da Rádio Globo, o deles é bem simples!

    ResponderExcluir
  6. Isso significa uma coisa: A Globo também sabe fazer m....!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…