Pular para o conteúdo principal

Radio Base na USP FM: o "Manifesto contra a mediocridade radiofônica"

Do Radio Base (07/11/08):

Depois de sete longos anos comentando e criticando as coisas do rádio e vendo que em termos de programação musical a coisa simplesmente não anda nas rádios do segmento "jovem", resolvemos ensinar à Mix, à Jovem Pan e congêneres como se faz um programa de pop rock levado a sério. Um programa que mostre o que está acontecendo na grande vitrine da música de hoje em dia, a Internê; um programa que abra espaço a quem realmente TEM TALENTO e precisa apenas de uma chance para mostrar a quem curte música pop o eu valor; um programa de gente que faz o circuito da música funcionar nas grandes capitais e no interior também; um programa que traga artistas de todos os cantos do país, desde o interior do Mato Grosso, até o baixo Leblon e as periferias de São Paulo; um programa como simplesmente qualquer programa musical de bom senso deveria ser: RÁDIO BASE URGENTE.

É claro que esse programa só poderia etar numa rádio que pensa igual a gente e investe pesado na qualidade do conteúdo, coisa que outras emissoras educativas deveriam seguir á risca. Só mesmo na USP FM, emissora que admiro desde moleque, é que poderia surgir um programa com a credibilidade deste mal-escrito blog. Só mesmo na Rádio USP e que nós deste blog humildemente poderíamos fazer parte de um time que reúne gente do talento de Omar Gibran, Toninho Spessoto, Laerte Sarrumor, Moisés da Rocha, Ricardo Corte Real, José Nello Marques, Caio Ávila e tantos outros. Somente a USP FM é que tem a verdadeira diversidade musical no rádio, conectada ao que está acontecendo no mundo contemporâneo.

É uma rádio que faz escola, literalmente. E que nós, dentro deste empreendimento tão importante para a cultura nacional que é esta emissora, possamos ensinar um pouco que sabemos e um pouco do que gostamos ao ouvinte e à esta moçada que está nas faculdades de comunicação àvidas por aprender e por fazer um rádio mais interessante, bonito, sério, profundo e, por que não, divertido e gostoso de se ouvir, tal como aprendemos com os grandes mestres do veículo nos anos 70 e 80.

Quero agradecer a todos da Rede Usp de rádio, na figura de seu diretor Celso Filho e da coordenadora Silvana Pires, pela aposta no projeto e a oportunidade de colocá-lo no ar; ao Fabio Rubira, que me encheu o saco e me convenceu a virar "vidraça" e vir também para este lado do rádio; e ao Beto Alves, nosso operador de áudio que, como todos sabem, é o cara que faz um programa decolar ou não, que dá bronca, que sugere, que faz as mixagens e as vinhetas dando a cara ao programa e que torna aquilo que escrevemos no papel em realidade sonora; ao Rui Monteiro, locutor-pioneiro da FM 97, de Santo André, a primeira e melhor rádio de rock de São Paulo, que empresta s
sua potente voz ao nosso programa; à Miriam Ramos, Zé Gomes, Zé Nello Marques, Sebastião Marciano, companheiros de outras frequências de outrora e que lá estão e aos demais que ainda não os conheço direito, mas já aos tenho como amigos e colegas de trabalho; aos companheiros de aventuras neste blog Marcos Lauro e Rodney Brocanelli, que se prontificaram a incrementar nosso espaço sonoro de 60 minutos semanais com mais conteúdo; aos meus amigos coordenadores e voluntários do canal NET Cidade - Sininho, Leite, Edson, Miguel, Martins, Beto Kerr,Perrella, Elaine, Gianechini, Parede, Giba, Rafael, Garota Emo, Ivo, Brunão, Camila, Lucky Ravanelli, Leandro Martins, Leo Pimenta, "seu" Moreno, "seu" Zé, Jaqueline, Doutor Márcio, Doutor João, Jô, Eliete e o pessoal da Adiabc, Garota Abadá, Epifânio, a turma do Boletim do Lente Esportiva, a galera do Circuito Cultural, pelo incentivo e prestígio da audiência; à Leine, da Banda Indigesto, pela ajuda na escolha do repertório; ao Jacó e ao Mário do Noise Factory Stúdios, pela imensa paciência; aos meus colegas da Agência Brasil de Comunicacão - Rogério Casagrande, Fred Chigança, professora Tatiana, Felipe, Luquinha, Sabrina, Átila, Clarice - pelo apoio e a infinita paciência para comigo; e aos meus parentes, amigos, correspondentes d do MSN, desconhecidos, colegas e leitores deste blog pelas mensagens de incentivo e torcida pelo projeto.

O mais fácil já foi. Agora é mostrar para quem ouve rádio quem é que faz a música POP de verdade, aquela que as grandes rádios não se atrevem a tocar - por iginorância, por omissão, ou por má fé - preferindo comer da ração das combalidas "majors" gravadoras e seus "produtos" de quinta que já não engana mais a rapaziada mais esperta e antenada de hoje. E que o diabo seja surdo!!!

PS: Dedico esta singela canção àquelas emissoras FMs "jovens", que insitem em fazer um rádio de modelo falido, anacrônico, arcaico, em detrimento da democracia musical e radiofônica deste novo milênio.

"Rock de Combate" - Deserdados (1995)(Danone / Jamaica / Celo / Lambão)

Somos rebeldes, rebeldes com causa
Não falamos apenas da boca pra fora
Somos rebeldes, rebeldes com causa
Nós queremos revolução agora!
Nós não vamos desistir
Nossa música vai incomodar
Porque ela é a nossa arma
E as guitarras não vão parar

Rock de combate! Rock de combate!
Rock’n’roll, Rock’n’roll de ataque!

Declaramos guerra contra a sociedade
Somos punks, soldados da liberdade
Declaramos guerra contra a sociedade
Falida, corrompida e que fecha os olhos para a realidade

Nós não vamos desistir
Nossa música vai incomodar
Porquê ela é a nossa arma
E as guitarras não vão parar

Rock de combate! Rock de combate!
Rock’n’roll, Rock’n’roll de ataque!


Sextas-feiras, da 0h à 1h, na Rede USP de Rádio: São Paulo - 93,7MHz - Ribeirão Preto - 107,9 MHz - www.radio.usp.br

A estréia foi na sexta-feira passada (data que o post foi publicado). Ainda não ouvi porque não acessei o blog Radio Base no dia. O site da USP FM ainda não tem nenhum material sobre o programa.

Sei que parece coisa do Silvio Santos indicar o que não se viu/ouviu. Mas, nesse caso, arrisco sem pensar duas vezes. Se o programa estiver à altura do que é o blog (coisa de apaixonados por rádio inconformados de verdade com a mediocridade que virou padrão de muitas emissoras, sobretudo as "jovens") vai ser imperdível!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…