Pular para o conteúdo principal

Governo volta atrás e promete regularizar multiprogramação

Na semana passada o ministério das Comunicações anunciou a ideia absurda de proibir a multiprogramação nas frequências digitais das emissoras comerciais, como informou Daniel Castro em sua coluna da última sexta-feira (texto reproduzido e comentado aqui). Felizmente, parece que voltou atrás.

O ministro Hélio Costa afirmou, segundo reportagem do Jornal do Brasil de hoje, que a multiprogramação das TVs comerciais será regulamentada em 90 dias. O controle foi justificado porque "a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) identificou em São Paulo transmissões digitais não autorizadas". Não sei se tem relação, mas saiu ontem, também na coluna do Daniel Castro, que o missionário R. R. Soares comprou do Grupo Abril o canal 30 paulistano, cuja classificação (TVA) permite até 11 horas por dia de transmissão em sinal aberto. O jornalista explicou que "o canal 30 não figura na lista oficial de canais digitais de SP. Mas, como canais TVA são juridicamente telecomunicação, e não radiodifusão, eles podem tanto transmitir em sistema analógico como em digital".

O importante é que o governo parece ter percebido que não faz o menor sentido proibir o desenvolvimento de uma tecnologia porque "tem gente que não é séria".

Segue texto completo da matéria de Ana Carolina Oliveira para o JB:

Transmissões simultâneas em discussão
Governo quer regulamentar multiprogramação em até 90 dias para evitar irregularidades

O ministro das Comunicações, Hélio Costa, afirmou ontem que o governo quer regulamentar em até 90 dias a multiprogramação – transmissão de quatro programações simultâneas em um único canal – para as TVs comerciais e públicas estaduais. Segundo ele, é preciso controle por parte do governo quanto a isso.

– Se permitir a multiprogramação sem normatização, o governo e a sociedade perdem completamente o controle – afirmou o ministro.

Segundo Costa, a ideia do governo é evitar irregularidades no uso dos canais digitais. De acordo com ele, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) identificou em São Paulo transmissões digitais não autorizadas e por isso o ministério tomou essa decisão.

– Esse movimento do ministério é uma resposta às transmissões digitais não autorizadas. Se o ministério não tomasse uma providência qualquer, haveria uma proliferação de TVs digitais – disse Costa.

Para o ministro, não pode acontecer com as TVs digitais, o mesmo que ocorreu com as rádios.

– Não podemos permitir que se faça multiprogramação sem normatização. Ou será que querem que aconteça com a televisão brasileira o que está acontecendo nas rádios comunitárias, que quem quer coloca uma rádio no ar, até ser fechada? – questionou.

A forma como será feita a regularização dos multicanais ainda está em discussão no governo. Essa normatização poderá ser feita por meio de um decreto presidencial ou uma portaria do Ministério das Comunicações. Costa disse que pediu uma audiência com o presidente Lula, ainda esta semana, para discutir o assunto.

Na semana passada, o governo editou uma portaria que autorizou as TVs públicas a utilizarem a multiprogramação. A portaria, porém, não estima um prazo para que elas entrem em operação. As únicas TVs autorizadas a começarem a utilizar o sistema, por enquanto, são: TV Brasil, TV Senado, TV Câmara e TV Justiça.

Segundo Hélio Costa, somente esses canais foram autorizados, porque eles não são uma concessão, ou seja, não precisam de autorização específica.

– As TVs públicas foram escolhidas porque é possível a multiprogramação com simplicidade – explicou o ministro.

Costa disse, no entanto, que se alguma TV comercial apresentar projeto que seja de interesse público, o Ministério das Comunicações está disposto a autorizar.

– Nós estamos tendo esse cuidado para evitar abusos de inconsequentes, mas as ideias interessantes e inteligentes, podemos autorizar – afirmou Costa.

O ministro voltou a dizer que o cronograma de implantação da TV digital no país está antecipado em um ano, e o sistema já está disponível em todas as capitais do Sul, Sudeste e Centro-Oeste (com exceção de Brasília), além de Salvador. Também está programado para entrar em operação nos próximos dias em Teresina, Manaus e Maceió.

LEIA TAMBÉM
http://blog.francfort.com.br/2009/02/27/governo-proibe-novos-canais-de-tv-digital/
http://blog.francfort.com.br/2009/03/02/pa-de-cal-na-tv-digital/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…