Pular para o conteúdo principal

O que eu queria escrever sobre o futebol na Kiss FM...

...o Marco Ribeiro escreveu no Rádio Base.

Reproduzo aqui o post, com alguns trechos destacados:

Em nome do bom senso

Nas últimas horas, os sites especializados em rádio tem se debruçado sobre uma notícia que espantaria o mercado de radiodifusão de São Paulo: a Kiss FM iria firmar uma parceria com uma produtora independente, a fim de começar a transmitir partidas de futebol. Fonte não identificada desta produtora teria revelado ao site "Rádio Agência" que tal acordo seria celebrado em breve, informação essa que foi negada pela assessoria da emissora, procurada pelos editores deste blog. A assessoria disse que o contrato ainda não fora assinado em razão de "resoluções contratuais ainda não acertadas."

Enfim, há um desencontro tão grande de informações que faz o leitor pensar que o projeto pode ser cancelado devido à sua divulgação antecipada por parte da produtora, sem antes o acordo ter sido celebrado com a Kiss FM.

Independentemente dessa confusão e agito todo gerado por esta notícia, - que não sei ao certo a quem interessou toda essa celeuma - se o projeto ainda for concretizado pode ser um tiro no pé da audiência da emissora. Afinal, segundo pesquisa de audiência publicada no site Bastidores do Rádio, a Kiss FM tem cerca de 60 mil ouvintes por minuto em média por dia. Não é pouco, não, mesmo pra uma emissora altamente segmentada numa cidade como São Paulo.

Introduzir futebol numa rádio com esse perfil pode ser um tiro no pé à toa, tal como acontecera com a Transamérica
(tem trechos que precisam estar em negrito, sublinhados e com link para ilustrar). O público que liga na Kiss quer ouvir música, especialmente Rock. Não me parece que ele esteja tão aberto a ouvir outros tipos de programação. Se ele quer ouvir futebol, possui dezenas de opções melhores, inclusive nas emissoras jornalísticas.

A Mix FM, líder de audiência no segmento jovem, por exemplo, não veicula programas específicos com mais de 15 minutos em que eles não possam veicular a programação musical da rádio. O medo é de perder a identidade da emissora e quebrar a cadência da programação.

Já a 105 FM veicula partidas de futebol nos fins de semana. Porém, é bom lembrar que seu perfil de programação é mais "popular", sendo compatível com esse tipo de formato que querem implantar na Kiss. Além disso, possui equipe própria, que pode ser um fator gerador de identidade e de audiência à emissora e suas transmissões futebolísticas.


A Eldorado por quase 50 anos jamais veiculou partidas de futebol. Com a saída de João Lara e do clã Mesquita da direção, as diretrizes das duas emissoras do grupo Estado mudaram. A Eldorado AM associou-se ao canal de tv paga ESPN, pertencente à Disney Company, e começou a fazer uma programação voltada para o esporte. Entretanto a FM não veicula essa programação, talvez por saberem que o público da Eldorado procura um tipo diferente de conteúdo que não envolve esportes populares.

Transmitir futebol na Kiss FM, emissora especializada em Classic Rock, cujo público nem sempre é aficcionado pelo ludopédio, nem procura por isso na emissora, é tão sem propósito quanto veicular este mesmo projeto numa Cultura FM, por exemplo, cujo o público é o mais exigente do dial e espera jamais ouvir um grito de gol entre a "Nona Sinfonia", de Beetoven e as "Bachianas", de Villa - Lobos.

Porém, o que parece mandar no rádio hoje em dia, mais do que o bom senso e as convicções de seus profissionais, é o faturamento a qualquer preço, não importa o quão isso contrarie o gosto ou a inteligência do ouvinte.

Enfim, só nos resta aguardar as próximas notícias, esperando que o bom senso prevaleça.

O Tudo Rádio.com, um dos sites especializados em rádio que mais se "debruçaram" sobre a notícia, parece que acreditou no cancelamento do projeto. O site publicou, agora há pouco, que a Kiss FM afirmou que "não haverá transmissão esportiva na programação da emissora", via comunicado.

Entretanto, não é bem isso que diz a nota da Kiss, replicada pelo mesmo site. Confira o texto:

"Em reunião ontem o pessoal da Kiss FM decidiu pelo seguinte posicionamento: Apesar das notícias veiculadas, a Kiss FM declara que a negociação junto à empresa Super Sports não foi finalizada em razão de resoluções contratuais não definidas. Portanto, no momento é só isso que a Kiss tem a declarar!"

Ainda que eu não goste de futebol em FM, não tenho nada contra a Super Sports ou qualquer outra produtora/emissora que veicule esse tipo de conteúdo. Mesmo assim, torço que a resolução seja o "não". Os motivos estão no texto do Rádio Base.

Comentários

  1. Achei que o texto foi parcial, no sentido que não observou as vertentes e possibilidades. Se roqueiro não gostasse de futebol, o Rock gol da MTV seria um fracasso. E o que é 'esporte' popular nos meios de comunicação como o rádio? Estranho se tranmitisse os páreos do turfe, ou tênis. Jogar o futebol no colo do 'povo' parece tão primário quanto classificar roqueiros como 'gente pervertida, desvirtuada, apreciadora de substâncias alucinógenas, irresponsável, o que sabemos não corresponde com a verdade.

    ResponderExcluir
  2. A 91.3ádio Rock de Curitiba incluiu transmissões esportivas há 3 anos e está muito próxima da audiência da Transamérica no sdias de jogos.

    ResponderExcluir
  3. Karaco, esta tal de Radio Iguatemi Am , ja deu o que tinha que dar, este tal de Pedrão Alcantara , é um pé no saco , o cara fala pra cacete , de minuto a minuto entra um mala que vende óculos e proteção veicular sem contar com outros comerciais, musica que é bom mesmo, nada .
    voltei para a rádio Antena 1, apesar de tocar apenas lado dois dos disco , ainda da para se ouvir

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…