Pular para o conteúdo principal

Lançamento de livro e bate-papo sobre rádio na Livraria Cultura do Shopping Villa-Lobos

A Summus Editorial está relançando o livro "Como Falar no Rádio - Prática de Locução AM e FM" em evento no Shopping Villa-Lobos, em São Paulo, nesta quinta-feira (07/05). Além da noite de autógrafos, haverá um bate-papo sobre o veículo, o "Encontro para falar de Rádio", com Cyro César (autor do livro), Magaly Prado e Roberto Hais.

Segue texto da assessoria de imprensa da editora, disponível no blog da Magaly Prado.

MidiaClippingA Summus Editorial e a Livraria Cultura Shopping Villa-Lobos (SP) promovem no dia 7 de maio (quinta-feira), das 18h30 às 21h30, a noite de autógrafos do livro Como falar no rádio, do jornalista Cyro César. Haverá também um bate-papo sobre a mídia: “Encontro para falar de rádio”. O evento acontece das 18h30 às 20h e terá, além do autor, as presenças de Magaly Prado (blog Notícias sobre Rádio) e Roberto Hais (Rádio Jovem Pan). Obra pioneira e importante, destinada não só a profissionais do rádio mas também àqueles que pretendem ingressar na carreira radiofônica, a obra constitui um verdadeiro manual sobre a prática de locução. Em linguagem clara e direta, o autor expõe sua vasta experiência como radialista, professor e especialista em qualificar pessoas para o mercado.

A livraria fica na Avenida das Nações Unidas, 4.777, 2º piso. O bate-papo será no auditório (mezanino).

O objetivo da obra é preencher algumas lacunas na qualificação dos profissionais de rádio e locução – comunicadores, estudantes, professores ou empresários – e apresentar os princípios básicos da atividade, desde os cuidados com a voz e a fala, as técnicas de locução e os erros mais frequentes até os processos técnicos, comerciais e éticos da profissão.

Com informações bastante atualizadas, o autor tem como base sua experiência profissional e as dificuldades que enfrentou no exercício da atividade. “Trabalhando em São Paulo, tinha acesso a diversas informações que não chegavam com facilidade a outras regiões. O livro é uma forma de levar essas informações a quem não tem acesso a elas”, afirma o autor. A formação do locutor, lembra César, sempre teve um caráter empírico, ficando a cargo, muitas vezes, da vontade do próprio profissional.

Nos dois primeiros capítulos, o autor aborda a história da chegada do rádio ao Brasil, suas influências sociais, políticas e econômicas na vida brasileira. Do capítulo 3 ao 8, trata da voz profissional, de sua produção, seu desenvolvimento, de cuidados e prevenções, com inúmeros exercícios práticos. Do capítulo 9 ao 12 , ele avalia as características do rádio, suas linguagens e sua presença no regionalismo nacional.

A formação do locutor, as técnicas diante do microfone e no estúdio, a postura do profissional antes, durante e depois da fala, os tipos de locução, a definição profissional e os quarenta erros mais presentes na locução radiofônica estão descritos do capitulo 13 ao 23. Do capítulo 24 ao 27, o leitor vai conhecer, além das novas tecnologias, a estrutura de funcionamento de uma emissora de rádio, sua organização e a magia de uma transmissão radiofônica. Por fim, no capítulo 28, o autor apresenta o lado comercial do rádio, tratando de técnicas de vendas, captação de anunciantes e patrocínio, e no capítulo 29 faz uma pequena discussão acerca das questões éticas que devem nortear o bom profissional.

Com prefácio de Osmar Santos, que escreve sobre sua experiência no rádio, o livro conta também com apresentação do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e de Paulo Machado de Carvalho, que falam sobre a relação com esse meio de comunicação. Comentário dos radialistas César Rosa, Luiz Fernando Magliocca, Paulinho Leite, Brim Filho e Serginho Leite também enriquecem a obra.

O autor

Cyro César é jornalista e radialista, especialista em qualificação profissional para rádio. Atuou como locutor, produtor e coordenador em inúmeras emissoras paulistas, tendo passado pelas rádios Imprensa FM, Antena 1, Record AM/FM, Cidade e Manchete FM. Coordenou projetos promocionais nas rádios Jovem Pan, Transamérica e Band FM. Atualmente é diretor artístico da programação da Rádio Show Sat-SP.

Criou a Rádioficina, centro de ensino técnico e qualificação profissional para radialistas.

Desenvolve, por todo o país, trabalhos de consultoria e ministra palestras e seminários na área, tendo também publicado, entre outros livros, Rádio – A mídia da emoção (Summus, 2005).

Membro cativo do Consejo Iberoamericano en Honor a la Calidad Educativa, do México, ocupa também o cargo de presidente da Associação Brasileira de Qualificação e Ensino Pró-Rádio (Abraqua), que ajudou a fundar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…