Pular para o conteúdo principal

Especial: Era uma vez a TVJB (1ª Parte)

A crise ou reestruturação da CBM (Companhia Brasileira de Multimídia) sempre me faz lembrar, mesmo quando não cito, a TVJB, empreitada do grupo de Nelson Tanure na televisão. Foram exatos cinco meses no ar (de 17 de abril a 17 de setembro de 2007), contando com a última semana em que foi transmitida pela Rede Brasil de Televisão - a CNT transmitiu a TVJB entre 17 de abril a 05 de setembro.

Em vez de simplesmente citar, resolvi contar de uma vez o que foi sua curta trajetória. E como a história é longa (apesar do pouco tempo em que a emissora esteve no ar), vou dividi-la em duas partes. Nesse final de semana falo sobre a história da parceria CNT-CBM até a estréia da TVJB.

O NAMORO ENTRE TANURE E OS MARTINEZ
As primeiras notas sobre o arrendamento da CNT saíram em 2006. Em 29 de maio, Mônica Bergamo anunciou em sua coluna na Folha o pré-acordo entre Tanure e a rede dos Martinez, classificado pelo programa do Observatório da Imprensa na Cultura FM de São Paulo como "preocupante para quem reivindica bom jornalismo". Em 29/07, Daniel Castro confirmou a informação no mesmo jornal.

Os primeiros sinais da nova programação na CNT apareceram ainda em 2006, através de especiais de fim de ano produzidos pela CBM. Nesse momento, a maioria das notícias falava em venda da rede paranaense para o grupo de Tanure, e não em arrendamento. Não havia definição sobre a nova marca que a rede assumiria: falava-se em TVJB, JBTV, Rede JB ou CBTV. Na tela o que se via era CNT-Jornal do Brasil.

Em 22 de janeiro de 2007 o CNT Jornal, antes apresentado por Marcelo Ribeiro e Gilberto Campos em Curitiba, migrou para os estúdios cariocas da CNT, agora sob o comando de Ana Maria Tahan. O jornal ficou bem precário, mas se justificava pela característica de provisório que tinha - nessa época já era certa a estréia de Bóris Casoy em março.

O Tela Viva News publicou matéria em 13/03/2007 falando que a TV teria investimento inicial de R$ 20 milhões - um valor que tinha previsão para retornar ao acionista em um ano, segundo Daniel Barbara, o experiente publicitário convidado por Tanure para presidir sua Companhia Brasileira de Multimídia, empresa criada em 2001, quando arrendou por 60 anos o Jornal do Brasil. As primeiras notícias falavam que a sede da emissora seria no Rio de Janeiro, mas foi firmado um acordo com Gugu Liberato para uso da estrutura física de sua produtora em Barueri/SP.

A estréia, antes prevista para março, era confirmada para abril. A CBM começaria ocupando a faixa das 18h à meia-noite, mas paulatinamente os programas religiosos e de televendas sairiam da grade da CNT, a medida em que os contratos de locação de horários fossem vencendo. Barbara disse ao site que a maioria desses contratos venceria no final de 2007.

A identidade visual foi criada pela agência Tutti Design, que tinha como objetivo "conservar a identidade da consagrada marca Jornal do Brasil emprestando-lhe mais modernidade em um processo que prevalecesse a transição ao invés da indesejada ruptura". Veja algumas etapas do processo de criação do logotipo, apresentadas pela agência no site Design em Dia:

As gradações de azul foram escolhidas para conservar a identidade da marca Jornal do Brasil na TV

Veja uma peça da campanha de lançamento da nova TV.


O CASAMENTO (COM SEPARAÇÃO TOTAL DE BENS)
Acompanhei a estréia da TVJB e relatei em uma comunidade da CNT no Orkut. Segue o texto:

Começou!
Com cara de TVE: às 18:00 a volta do Leo Almeida, no programa Na Rua. Uma hora e meia com muitos amigos do apresentador por telefone, uma apresentação da programação e uma discussão bem superficial sobre a qualidade da programação da TV aberta (que só existiu pra promover a imagem da TVJB como emissora de qualidade).
Alguns quadros sem graça, alguns erros... aqui em São Paulo a imagem da TV aberta com sinal fraco e a da NET com os erros de sempre (a imagem "trava" toda hora e em alguns momentos não teve sincronia entre som e imagem), mas o saldo foi bom, pra estréia. O cenário é muito bonito e o programa é bem feito. E o Leo Almeida é muito competente... acho que quando o programa "engrenar" vai ser muito bom! É o Caderno Teen/Atitude.com numa TV comercial, pra mais estados e com mais tempo de duração. Tomara que dê certo!

A cara de TVE continuou com a volta da Luiza Sarmento e o + Pop. O mesmo programa... o TVZ da TV aberta.

A novelinha não consegui assistir... só vi. Não tenho paciência pra novela... deixei pra ver as vinhetas e chamadas (muito boas, por sinal - a voz padrão é discreta e as chamadas tem um estilo próprio simples, mas muito bom)!

Agora tá passando o Cine Set... que é o Cine Revista com novo nome, pra promover a revista da Editora Peixes, recém adquirida pelo Tanure.

E daqui a pouco tem o esperado jornal do Bóris.


***

e começou com erro, infelizmente.
atrasou, e as duas primeiras reportagens foram ao ar sem áudio. o jornal foi cortado e voltou ao ar quase as 22:30.

uma pena pq provavelmente mta gente estaria vendo essa estréia tão comentada, e é difícil o público "dar chance" ao erro... esperar quase meia hora pra ver o jornal!

A seguir, vinheta interprogramas da TVJB e de "Ainda Hoje", capturadas na data de estréia da emissora pelo usuário Comte do YouTube.

Vinheta interprogramas


Ainda Hoje


Algum tempo depois da TVJB entrar no ar a CNT reformulou seu site, que passou a exibir um banner explicando a parceria "sem qualquer aquisição, fusão ou incorporação". Veja o comunicado:

Clique na imagem para ampliar


Continuo a história da TVJB no próximo sábado, falando sobre sua programação, repercussão e extinção.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…