Pular para o conteúdo principal

Mais sobre a RedeTV!

Aproveitando o "gancho" do post anterior, deixo um artigo de Arthur Ankerkrone, publicado originalmente no blog da Francfort Comunicação. Aproveito para indicar o blog, que traz em primeira mão as novidades da empresa, além de informações sobre televisão. Depois eu comento o texto.

RedeTV!: justiça seja feita

Até por ter um passado profissional ligado à Rede Manchete, ouço frequentemente diversas críticas à programação da RedeTV!, em tese sua sucessora. Que a programação não se compara, que é um lixo, coisa e tal. Ouvi muita coisa nesse sentido em conversas, e também na internet, comunidades no
Orkut, e por aí vai.

Vamos concordar numa coisa: a RedeTV!, “a rede de TV que mais cresce no Brasil”, ou se preferir, “a rede de TV com o nome mais estranho do Brasil”, hoje em dia tem uma programação que não dá pra elogiar muito em relação à qualidade: não digo qualidade técnica, nesse aspecto, é uma das melhores emissoras do país, e a única
full HD. Mas na qualidade de conteúdo. Nisso, efetivamente, a RedeTV! fica a desejar.

Mas uma coisa os detratores da RedeTV! têm de parar um pouco e pensar. Primeiro, os que dizem que a Manchete sempre foi muito melhor do que a atual: alguém se lembra de exatos dez anos atrás, quando a Manchete entrava em sua fase mais crítica desde sua fundação, quando ninguém mais queria investir nela, e as notícias sobre seu arrendamento ou venda pipocavam todo dia na mídia? A programação vinha se decompondo aos trancos, feita basicamente com reprises, clipes e horários arrendados para igrejas (e quase a emissora inteira foi arrendada, alguém lembra? O fato é que o arrendatário falou muito e não quis pagar nada, e a emissora voltou aos Bloch…). Mesmo o antes imbatível
Jornal da Manchete se desmantelava aos poucos. Lembro-me perfeitamente, ao final de 1998 ou começo de 1999, uma edição apresentada por Berto Filho onde basicamente todos os monitores do cenário estavam apagados. A imagem das câmeras de externa, sem manutenção, era basicamente verde. Afinal, eram câmeras de tubo, com quase vinte anos de operação direta.
E aí, acabou. Em 18 de maio de 1999, as concessões são passadas para a TeleTV.

E oficialmente, em 15 de novembro de 1999, nasce a RedeTV!.

E agora, peço aos detratores que joguem o primeiro ponto de exclamação, quem não se lembra da excelente programação da emissora em seu primeiro mês. Programas infantis muito bem produzidos,
A Casa é Sua com Valéria Monteiro, o Jornal da TV!, o BrasilTV! e o RTV!, três telejornais muito bem produzidos (e agora, com câmeras de novíssima geração), Superpop (com Adriane Galisteu e muito, muito diferente do que existe hoje); Fernanda Lima apresentando clipes, a competente Denise Campos de Toledo com um boletim de economia, João Dória Jr. e o Show Business (a única herança da programação da Manchete no canal). As sessões de cinema, com crítica de Rubens Ewald Filho; E o mais incrível, o Te vi na TV (depois Eu vi na TV), com João Kleber, fazendo um humor inteligente, com quadros muito bons inspirado claramente no formato do Saturday Night Live - o que parece mais inacreditável, visto no que o programa em pouco tempo se transformou, um show de pegadinhas e testes de fidelidade de gosto pra lá de duvidoso.

Parece que quase todo mundo se esqueceu desse glorioso início da RedeTV!. Que no fundo, se parecia em estrutura com os “anos dourados” da Manchete, e com uma qualidade técnica digna dos melhores elogios.

E o que aconteceu? O público, esse mesmo que fala mal, rejeitou a programação do canal. E não é todo mundo que sabe, mas televisão, efetivamente, é um brinquedo muito caro. Continuando neste rumo, a RedeTV!, que não tem nenhum megagrupo de investidores por trás, nem tampouco uma igreja, iria fechar as portas em pouco tempo. Foi obrigada a mudar rapidamente sua programação em busca de audiência. Para sobreviver. Pagar as contas. E sobretudo os funcionários, muitos vindos já de uma situação crítica, na antecessora.

Agora, a RedeTV!, segundo a imprensa noticia (veja aqui mesmo no
Blog da Francfort algumas notas sobre o assunto), enfrenta uma crise interna, agravada talvez pelos investimentos em sua digitalização completa e pela montagem de sua nova sede, saindo de suas instalações montadas às pressas dez anos atrás e finalmente indo para uma casa corretamente dimensionada.

A RedeTV! precisa e pode melhorar. TV não é barato. E não é fácil fazer. Para o telespectador, é melhor não torcer para a falência da emissora, como já ouvi muitos falando, e sim para uma recuperação, inclusive buscando a qualidade. Afinal, da existência da empresa dependem diversas famílias de profissionais. Centenas, para não dizer milhares de famílias, envolvendo os trabalhadores que colocam no ar as emissoras próprias e suas afiliadas. Trabalhadores das áreas artísticas, técnicas e administrativas. Não nos cabe julgar se a RedeTV! é certa ou errada. Mas toda vez que uma emissora fecha as portas, muitos profissionais de qualidade ficam desempregados, sendo que alguns não conseguem mais a recolocação.

Vamos torcer pela recuperação da RedeTV!, sim. Há vida inteligente ali, e ela já provou isso há uma década atrás. Basta colocar boas ideias em prática, e o publico irá prestigia-la novamente.

Arthur Ankerkrone

Não consigo acreditar que a RedeTV! tenha tido algum dia a real intenção de fazer uma programação de qualidade, apesar do começo que o Arthur citou (e que muita gente esquece). Achava isso desde o começo por ter visto os programas de auditório que a TV Ômega fez na Manchete entre 1997 e 1998. Programa de auditório é popular, e foi assim que tanto o "Domingo Milionário" quanto o "Domingo Total" começaram. Mas, em poucos meses, ambos baixaram o nível até ficarem irreconhecíveis - nunca vou esquecer do homem que engolia um rato e o tirava pelo nariz numa das últimas edições da "Festa do Mallandro", dentro do "Domingo Total".

O Arthur diz no texto que o público rejeitou a programação do canal, mas os números de audiência da RedeTV! popularesca de hoje em dia não são tão maiores que os números dessa fase "gloriosa". É preciso reconhecer que a primeira programação tinha um custo muito elevado - e que isso também justificaria a mudança, ainda que a audiência não seja tão mais expressiva hoje -, mas não dá pra negar que a RedeTV! tem um defeito "imperdoável": confundir o popular com o popularesco.

A própria Manchete precisou popularizar para sobreviver, mas ser popular não significa ser de baixo nível! A TV Gazeta hoje tem uma programação popular, mas que nunca cai para o mau gosto. O SBT tinha (tem, até o final do mês) o "Casos de Família" da Regina Volpato, um programa extremamente popular e que não aparenta precisar de uma grande parafernália na produção, mas que nunca desrespeitou os convidados e nunca apelou pra baixaria. e que deu certo desse jeito - sou capaz de apostar que qualquer programa substituto vai derrubar a audiência do SBT no horário, mesmo se for mais apelativo!

Independente disso é besteira torcer pela falência ou pela decadência de qualquer empresa. Como "consumidores", podemos (e devemos) reclamar dos produtos ruins que recebemos, mas repito o final do artigo: devemos torcer pela recuperação da RedeTV!, "inclusive buscando a qualidade". E é sempre bom reforçar que a programação da RedeTV! é ruim, mas pode ser substituída por algo ainda pior.

LEIA O BLOG DA FRANCFORT
http://blog.francfort.com.br/

Comentários

  1. Lembro na época em que a Rede TV! entrou no ar em 1999, estava prestes a completar 9 anos, a proposta de programação era interessante, de qualidade, mas não pode conhecer essa Rede TV! de 99, o sinal só chegou em João Pessoa em 2008...
    A Rede TV! tem 2 atrações que vale a pena serem lembradas, o Leitura Dinâmica(jornalismo para jovens) e o Ritmo Brasil(musica), por que não investir nesse tipo de programa?
    creio no potencial de Luciana Gimenez, por que não?
    por que não filmes clássicos como Vidas Amargas(1955), Os Deuses Vencidos(1958) ou mesmo Baleias de Agosto(1987) com Bette Davis
    Por que não?

    ResponderExcluir
  2. Entre 2006 e 2007, tinha a TV Kids com Fullmetal Alchemist, Super Campeões, Hunter x Hunter (de Yoshihiro Togashi, criador de YuYu Hakushô e Level E.)e Viewtiful Joe. E a TV Clubinho que durou até agosto de 2007, com As Pistas de Blue, Backyardigans, Dora, a Aventureira, Go Diego GO e a reprise de Super Campeões. Agora a RedeTV! está passando Pokémon e Chaotic, e em breve, teremos um novo Tokusatsu: Madan Senki Ryukendo. A dublagem da série está em curso e será supervisionada por um fã do gênero. A RedeTV! pegou em Taubaté/SP pela primeira vez entre 2002 e 2003 e saiu do ar por um tempo e o sinal da RedeTV! só voltou definitivamente em agosto de 2006!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…