Pular para o conteúdo principal

Jornal da Record News é o primeiro com conteúdo transmídia

Por Ana Carolina Lima, para o AdNews:

O Jornal da Record News estreia no dia 23 de maio, sob comando do jornalista Heródoto Barbeiro, que divide a bancada com Thalita Oliveira, de segunda a sexta. O formato promete unir informação, humor, aprofundamento e interatividade com a contribuição de dez comentaristas especialistas em diferentes assuntos.

É a primeira vez que a TV brasileira fará uma transmissão transmídia, garante Antônio Guerreiro, diretor geral do departamento de internet. A ideia é levar a informação para outras plataformas de comunicação além da televisão, onde o telespectador possa participar diretamente da programação. Guerreiro diz que hoje no Brasil é utilizado o crossmedia, algo que de acordo com ele é "fácil fazer".

O Jornal da Record News conta com uma página especial no portal R7. Os bastidores da atração serão exibidos no site 15 minutos antes da apresentação na TV. Além disso, quando entra o intervalo comercial, o internauta pode continuar vendo o que acontece nos estúdios, enquanto os apresentadores chamam os usuários para a interatividade via Twitter, Facebook ou para a página do portal. A intenção é fazer com que as pessoas interajam diretamente com os apresentadores em tempo real, participe e opine sobre o que vê.

O editor executivo, Marco Nascimento, ressalta que o jornal foi pensado para ser assistido pelo ciberespaço, com o intuito de "oferecer um gostinho de bastidores para quem assiste pela web".

Segundo o vice-presidente de jornalismo, Douglas Tavolaro, a pretensão é ser diferente, pois o objetivo principal não é a busca pela audiência, mas produzir um telejornal feito com análise e profundidade através do debate de informações.

Três comentaristas falam sobre assuntos diversos a cada exibição diária. Integram a equipe Adibe Jatene (saúde), Beth Goulart (cultura), Cosme Rímole (esporte), David Uip, Daniel Castro (mídia e TV), Nirlando Beirão (polítiica), Ricardo Kotscho(política), Roberto Macedo (economia) e Rubens Edwald Filho (cinema).

Outra novidade é a presença de Bruno Motta, ator que vai levar um tom de humor aos comentários do telejornal. "Eu vou pegar as notícias como as pessoas veem em casa e trazer para a bancada", conta.

Heródoto Barbeiro se mostrou bastante animado ao falar do jornal e crê que a tecnologia interativa seja um bom meio para divulgar o conteúdo e contribuir com o que chamou de "produção coletiva". Para ele, este é um passo importante para a democracia, sociedade e jornalistas. "É mais do que um produto. Nós vamos e queremos ser cobrados pelo público". E completa: "Eu quero ajudar a marca a ter a representatividade que ela merece".

O investimento ainda não foi divulgado, mas o diretor comercial da Record News, Sidineu Ferrari, aposta que "vender esse formato vai ser muito fácil".

Torço para que dê certo e acredito que tem tudo para dar. A equipe é renomada e os novos recursos de interatividade podem dar a visibilidade que a Record News busca desde a estreia.

Só não consigo deixar de pensar, quando leio o nome de Daniel Castro como comentarista de mídia e televisão, em como o mundo dá voltas: há pouco mais de dois anos, um comentário do jornalista na Folha desencadeou uma série de reportagens da Record contra o jornal.

Tudo coisa do passado, ainda bem. Prefiro comentar sobre a ótima iniciativa de colocar alguém para falar sobre mídia e televisão no principal telejornal da emissora - e não num programa de fofocas - do que sobre picuinhas como a de dois anos atrás.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Relembrando a Líder FM de São Paulo

Em janeiro deste ano, publiquei aqui e no Tele História um post sobre o curto período em que a Líder FM, emissora popular da Grande São Paulo de grande audiência nos anos 90, adotou o slogam "Cheia de Charme" e passou a se dedicar à Black Music. No final do post, pedia para quem tivesse mais informações sobre esse período enviasse comentários, para que todo mundo que lê o blog e a coluna do Tele História - inclusive eu - pudesse resgatar um pouco da história dessa simpática emissora que acabou caindo um pouco no esquecimento.

De lá pra cá, recebi comentários de pessoas relembrando a Líder FM dessa e de outras fases. Alguns são tão bons que me deixaram, já na época, com vontade de escrever um novo post só para que eles ficassem mais "visíveis".

Nesta terça-feira, o Edmauro Novais, que teve participação essencial no primeiro post, enviou imagem da capa de outro CD da rádio na fase Black, retirada de um blog que disponibiliza a playlist e o link para download do CD. Foi…

Um pouco da história da Rádio Tupi AM (SP)

Muita gente reclama da "falta de memória" da TV, não só pelo descaso das emissoras que apagavam seus arquivos sem a menor culpa, mas também pela dificuldade em encontrar informações consistentes e confiáveis sobre a história da televisão. Quem reclama tem razão, mas essa falta de memória nem se compara com a escassez de registros sobre a história do rádio!

Tive que procurar, para um trabalho, a história da Tupi AM de São Paulo, e descobri que não existe nenhum lugar que traga essas informações. Para se ter uma ideia, não consegui encontrar nem o ano em que a Tupi AM de Paulo Abreu foi inaugurada!

Encontrei alguns dados em diversos endereços na Internet - faço questão de deixar os links ao longo do texto - que, aliados ao pouco que lembrava, me ajudaram na montagem do quebra-cabeças da trajetória (ou das trajetórias) da Tupi.

O resultado não ficou tão completo quanto esperava, mas deixo aqui o que encontrei, primeiro por não ter visto essa história resumida em nenhum lugar, e de…

Especial: As vinhetas de abertura e encerramento da programação na TV

Antes da TV paga ou da multiplicação de televendas e telepastores, era padrão as emissoras de TV não permanecerem no ar 24 horas por dia. No máximo, a Globo "virava" as noites de sexta e sábado com o lendário "Corujão"; as demais - incluindo a Globo em outros dias - só funcionavam de madrugada em ocasiões esporádicas e especiais.

Por isso, quase todas se preocupavam em criar vinhetas específicas para a chegada e despedida diárias. E, diferente do que se esperaria de vinhetas exibidas duas vezes por dia nos horários mais periféricos da grade, muitas delas foram marcantes na história das emissoras e são lembradas até hoje.

Preparei uma lista com algumas das mais famosas. Os vídeos são antigos e estão no YouTube há muito tempo, mas são alguns dos meus favoritos - e imagino que não sejam só meus.


GLOBO

Nos primeiros anos de Hans Donner, uma sequência de formas tridimensionais ilustrava a mensagem de encerramento:


Na década de 1980, a mensagem foi substituída pela apresentaç…